turismosul.com.br
Home Santa Catarina Rio G do Sul Contato

    Torres. Litoral do Rio Grande do Sul.  
    Carregamento de Vídeo, aguarde. Clique para iniciar

 

O nome da cidade de Torres tem uma razão de ser: as formações homônimas são, na verdade, enormes penhascos que marcam a orla. O destino, aliás, é um desafio: em meio a tantas belas cidades serranas, vinícolas e cenários de inverno do Rio Grande do Sul, o lugar vai pelo caminho oposto ao apresentar belas praias.

Considerado o trecho mais bonito do litoral gaúcho, a cidade tem mar esverdeado e um centrinho charmoso que convida o visitante a caminhar. Quem quiser curtir uma praia mais deserta pode atravessar a ponte pênsil até a vizinha catarinense Passo de Torres e passar o dia na Praia de Bellatorres.

Ainda assim: vale a pena dar uma chance aos cenários e incluir o lugar como uma boa opção durante a alta temporada do verão brasileiro

.

COMO CHEGAR

Partindo da capital Porto Alegre, são aproximadamente duas horas de viagem partindo da BR-290 e da BR-101. Ônibus da empresa UneSul também fornecem opções de trajetos de uma cidade para a outra. 

ATRAÇÕES

Praia Grande: Com 2km de extensão, vai da barra do Rio Mampituba até o primeiro afloramento rochoso, que é raso e não tem nome, é a preferida para o banho de mar e onde ocorre a maioria dos eventos esportivos e shows a céu aberto no verão.

Praia do Meio ou Prainha: Com 600m, seguindo até o Morro do Farol, não é muito adequada para banhos, mas da grande beleza natural, parte da praia possui grama.

Praia da Cal: Entre o Morro do farol e o Morro das Furnas, cujo nome se deve á antiga presença de fornos de torrefação de conchas retiradas de sambaquis para fabricação de cal.

Praia da Itapeva: Tem 6km de extensão e localiza-se após o Parque da Guarita, tem esse nome devido ao Morro da Itapeva quem em Tupi Guarani significa "Pedra Chata". Única praia da cidade de Torres que permite o acesso de carros.

Rio Mampituba: Rio que faz divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina. O nome Mampituba é de origem Tupi e significa "Rio de Muitas Curvas", Sua foz foi fixada pelos molhes, o que facilita a saída dos barcos pesqueiros.

Lagoa do Violão: Localizada no centro da cidade e tem esse nome por seu formato original assemelha-se a um violão. Possui de 2km quadrados de extensão, toda pavimentada e iluminada a sua volta e uma passarela também, possui no seu interior peixes, tartarugas e aves aquáticas.

Praia do Molhes: Praia de grande extensão, é um dos recantos da cidade, costuma receber um bom número de turistas todos os anos, mas é no verão que , essa praia fica repleta de visitantes. A maior parte dos que frequentam o lugar são jovens, que aproveitam para pegar algumas ondas. É ideal para o banho e para o surf. A pesca também costuma ser praticada na região por alguns moradores.

Ilha dos Lobos: A Ilha dos Lobos, tem formação de origem vulcânica, provavelmente a mesma das Torres. Localiza-se a cerca de 1.800 metros da praia e é uma Unidade de Conservação, qualificada com Refúgio da Vida Silvestre e mantida sob a responsabilidade da Unidade de Torres do Instituto Chico Mendes de Conservação de Biodiversidade. Na ilha é proibido qualquer atividade de pesca, desembarque ou prática esportiva, como o surfe. O local é habitado por lobos e leões marinhos que o utilizam como descanso em suas rotas migratórias, bem como aves de várias espécies, inclusive oceânicas, além de corais e mariscos. A Ilha dos Lobos serve também como atrativo turístico dos barcos de turismo que circulam ao seu redor.

Dunas: As dunas costeiras formaram-se durante os últimos 5.000 anos pela interação entre o mar, o vento, a areia e a vegetação, esse complexo ecossistema estende-se por 600km no litoral gaúcho, desde o Arroio Chuí, até o Rio Mampituba(Torres), formando o maior sistema de praias arenosas do Mundo.

Santinha: Oratório Nossa Senhora dos Navegantes - No local, há uma vertente de água cristalina que sai da rocha do Morro do Farol e a imagem de uma santa. Está localizada entre a Prainha e a Praia da Cal.

 

Ponte Pêncil: Inaugurada em 1985, a ponte pênsil de Torres é considerado um dos pontos turísticos da cidade. Feita de madeira e cabos de aço, sua travessia é feita apenas por pedestres.

A Torre Sul: Está localizada no Parque da Guarita e possui um grande paredão de frente para o mar. Pela escada de mais de 100 degraus, é possível chegar ao topo, aonde pode-se desfrutar de uma linda vista para o Parque e a Praia da Guarita, Praia da Itapeva, Morro do Meio, Dunas e a cidade.

Morro do Farol - Torre Norte: Conhecido por Morro do Farol, local de intensa ocupação por sua beleza natural e perspectiva visual, abrigou um cemitério indígena e o Forte de São Diogo, em 1777. Primeiro Farol construção em 1911. Local ideal para se avistar as belezas naturais da cidade. Lá, podemos ver todas as praias, as torres, a lagoa do violão, as serras, as dunas e a ilha dos lobos. O chapadão mais elevado tem cerca de 600 metros de largura e sua altitude superior de 46 metros e meio. É o ponto de vôos de paraglider/paramotor.

A Torre do Meio: É, por seu tamanho, a mais importante das "Torres". Também conhecida por Morro das Furnas, fica entre a Praia da Cal e a Praia da Guarita e a Trilha que atravessa por cima do platô, é uma ótima opção de caminhada. Descendo pelas escadarias, é possível visualizar as FURNAS, por baixo dos penhascos. Algumas das escadas são bastante íngremes.

Parque da Guarita - Praia da Guarita - O Parque Estadual José Lutzenberger, mais conhecido como Parque da Guarita, é uma Unidade de Conservação Brasileira. Seu nome homenageia o ambientalista gaúcho José Lutzenberger, que foi um dos incentivadores da sua criação. É constituído essencialmente por ecossistema costeiro, contando com a Praia da Guarita, porém na sua implantação foram criadas áreas reproduzindo outros ecossistemas da região. Possui cerca de 350 hectares.

Baleias - No período de agosto a novembro é comum as baleias francas passarem pelo Rio Grande do Sul. São baleias que procuram águas mais quentes para procriar e ter filhotes. Os animais desta espécie não andam em grupo como os outros. As baleias-francas estão sempre sozinhas ou acompanhadas dos filhotes. E também não se alimentam no tempo que ficam em águas brasileiras, apenas amamentam os filhotes.

Em Torres, as baleias francas podem ser observadas de diversos locais, mas o Morro do Farol, um dos pontos turísticos mais visitados, é um observatório perfeito. Entre os três morros à beira-mar, é o único que tem acesso de carro, sendo o local preferido de moradores e turistas para observar a imensidão do mar.

 

Horário de funcionamento do Parque da Guarita: 8h as 20h segunda a domingo.

.

 

Fonte: http://viajeaqui.abril.com.br/cidades/br-rs-torres

http://www.torres.rs.gov.br/index.php/conheca-torres